segunda-feira, 2 de abril de 2012

Portugal - Bélgica Qualificação no Futebol Feminino

Jogo de Qualificação para o Europeu de Sub 19. Portugal vs Bélgica em Futebol Feminino


Portugal 2-5 Rep.checa


A Selecção Nacional Feminina ‘A’ jogou, este sábado, o seu sexto encontro do Grupo 7 de qualificação para o Campeonato da Europa Suécia 2013 diante da sua congénere da República Checa.

Golo checo e resposta lusaO jogo não começou da melhor maneira para a Equipa das Quinas que viu Irena Martínková, logo aos 13 minutos, cabecear para o golo inaugural da partida, na sequência de um livre apontado por Iva Mocová.
A resposta lusa não demorou e, no lance seguinte, Ana Borges criou perigo na área contrária, mas o remate saiu por cima.
Com a aspiração de vencer, a equipa comandada por António Violante, procurava dar um outro rumo ao jogo e, aos 20 minutos, Ana Borges, pela direita, cruzou para o cabeceamento certeiro de Andrea Rodrigues que, desta forma, deu expressão a uma forte reacção da Equipa das Quinas.
Irena Martínková completa hattrickCom o empate restabelecido no jogo, Portugal tentava chegar ao golo da vantagem, mas acabou por ser a República Checa a criar perigo. Petra Divišová apareceu em velocidade na área lusa mas Patrícia Morais, com uma grande defesa, evitou o golo. Na sequência do lance, Iva Mocová apontou um pontapé de canto na esquerda e descobriu Irena Martínková na área lusa que, nas alturas, ganhou a toda a gente, bisando assim na partida.
António Violante havia alertado para as dificuldades que Portugal podia sentir nos lances de bola parada e foi dessa forma que viu a sua equipa sofrer dois golos.

Portugal voltou a reagir, mas ao minuto 35, Petra Divišová, num lance de contra-ataque entrou na área lusa e sofreu falta de Sónia Matias. Na transformação da grande penalidade Irena Martínková não desperdiçou. Patrícia Morais atirou-se para o lado certo, mas não evitou o hattrick da avançada checa.

A terminar o primeiro tempo, Petra Divišová, assistida por Irena Martínková,  isolou-se e na cara da guarda-redes lusa fez o 4-1 com que as equipas foram para o intervalo.

República Checa aproveita adiantamento luso
Portugal entrou em campo para o segundo tempo com vontade de rectificar o resultado no primeiro tempo, com Ana Borges em plano de evidência, mas Adéla Pivoòková, em jogada individual, fez o 5-1, aos 53 minutos, com um excelente remate ao ângulo esquerdo da baliza à guarda de Patrícia Morais.

Carolina Mendes reduzAo minuto 71, Carla Couto cobrou, de forma superior, um livre na esquerda que a guarda-redes contrária defendeu para a barra e, na recarga, apareceu Carolina Mendes a cabecear com sucesso para o golo luso que colocou um pouco mais de justiça no marcador.

Sónia Matias, ao minuto 84, na cobrança de um livre directo, rematou forte, mas Petra Taušová segurou a bola em cima da linha.
“Qualificação será muito difícil, mas não abandonamos essa ideia”No final da partida o Seleccionador Nacional de Futebol Feminino, António Violante, sublinhou que o apuramento “matematicamente ainda será possível”, mas reconheceu que será mais complicado depois deste resultado. “Será possível, dependendo de outros resultados, mas, de facto, a qualificação será muito difícil, a não ser que haja uma conjugação de resultados muito favorável e que consigamos derrotar todos os nossos adversários até ao final do apuramento. É difícil, mas não abandonamos a ideia de nos qualificarmos apesar de sabermos que será extremamente difícil”, reforçou.
O técnico explicou, a propósito do jogo de hoje, que “a República Checa soube tirar partido de alguns erros nossos. Estávamos avisados para algumas dificuldades que poderíamos sentir e não conseguimos contrariar, por exemplo, o poderio físico das jogadoras checas. Os dois primeiros golos foram alcançados na sequência de bolas paradas em que nós não acertámos as marcações, como deveríamos ter feito. Também, sabíamos do potencial da jogadora número 10 [Petra Divišová], mas não conseguimos anulá-la. Ainda reagimos ao primeiro golo, mas após o 4-1, as coisas ficaram extraordinariamente difíceis para nós. Ganhou quem jogou melhor e foi mais eficaz. A República Checa foi melhor, ganhou e não tenho nada a opor”, sintetizou o técnico.
António Violante quer já ver “corrigidos alguns pormenores e fazer melhor no próximo jogo”, na próxima quinta-feira, na Áustria. “Esta equipa joga mais do que aquilo que evidenciou hoje, como já aconteceu noutras ocasiões. Vamos ter de seguir em frente e melhorar o que esteve mal hoje.”
O técnico considera que “é importante recuperar animicamente as jogadoras para o próximo encontro, até porque se trata de outro jogo e nós vamos querer ganhá-lo. Vamos para a Áustria com a ideia de conseguir um bom resultado.”
A finalizar, António Violante deixou uma mensagem de agradecimento ao público presente em Tondela e lamentou não o poder ter brindado com uma melhor exibição e um outro resultado. “O público procurou apoiar-nos e nós agradecemos. Não correspondemos da melhor forma – queríamos fazer melhor, mas não fomos capazes”, rematou.

Jogo com a Áustria a 5 de Março
A Equipa das Quinas voltará a jogar na próxima quinta-feira (5 de Março) em Wiener Neustadt, diante da formação austríaca. O último encontro da formação lusa no Grupo 7 de qualificação está agendado para o dia 19 de Setembro na Dinamarca.
Edite Fernandes distinguidaEdite Fernandes foi distinguida esta tarde pelas 100 internacionalizações registadas ao serviço da Equipa das Quinas. A jogadora lusa, que tem falhado os últimos encontros devido a lesão, cumpriu a sua 100ª internacionalização no jogo diante da Áustria a 19 de Novembro de 2011. Clique aqui para conferir o Mapa de Internacionalizações da jogadora lusa.
Ficha de JogoJogo Qualificação Campeonato da Europa de Futebol Feminino Suécia 2013
Estádio João Cardoso, em Tondela
Assistência: Cerca de 500 espectadores.

Equipa de Arbitragem: Roménia
Árbitra: Floarea Babadac-Ionescu.
Árbitras Assistentes: Gabriela Dananae e Alina Mihoc.
Quarta Árbitra: Ana Catarina Araújo (Portugal).
PORTUGAL 2-5 REPÚBLICA CHECA (1-4, ao intervalo).
Portugal: Patrícia Morais; Carole Costa, Kimberly Brandão - Cap., Sílvia Rebelo e Sónia Matias; Melissa Antunes, Carla Couto e Cláudia Neto; Andrea Rodrigues (Laura Luís, 80'), Ana Borges (Ana Leite, 73') e Carolina Mendes (Regina Pereira, 87').
Suplentes não utilizadas:Neide Simões, Elsa Ventura, Tita e Cristiana Garcia.
Treinador: António Violante.
Golos: Andrea Rodrigues (20’) e Carolina Mendes (72').
Disciplina: Cartão amarelo para Sónia Matias (36').
República Checa: Petra Taušová; Iva Mocová - Cap., Petra Bertholdová, Veronika Pincová e Jana Sedláèková; Klára Cahyòová (Monika Cvernová, 89'), Irena Martínková, Lucie Voòková (Veronika Hoferková, 80') e Adéla Pivoòková; Petra Divišová e Lucie Martínková (Tereza Kozarová, 87').

Suplentes não utilizadas: Jaroslava Lorencová, Adéla Odehnalová, Michaela Èulová e Markéta Ringelová.
Treinador: Vladimír Hruška.
Golos: Irena Martínková (13’, 27’ e 36’), Petra Divišová (45’) e Adéla Pivoòková (53’).
Disciplina: Nada a registar.






Noruega -Portugal


A Selecção Nacional Feminina Sub-19 obteve, esta segunda-feira, um triunfo absolutamente histórico, ao bater a Noruega – vice-campeã europeia em título deste escalão –, por 3-1, na segunda jornada do decisivo Torneio de Apuramento para o Europeu de 2012, que decorreu no Estádio Municipal Sérgio Conceição, em Taveiro (Coimbra). Tratou-se do primeiro triunfo de uma Selecção Feminina Portuguesa diante da Noruega, uma das potências mundiais da modalidade.
 
Além do registo “curricular”, a Equipa das Quinas reentrou na luta pela conquista de um lugar na fase final do Campeonato da Europa, uma vez que face à vitória (3-0) da Bélgica sobre a República Checa, todas as formações do Grupo 1 estão em igualdade pontual, cada um com três pontos.
 
Portugal fez uma primeira parte a roçar a perfeição. A Equipa das Quinas entregou a iniciativa atacante às norueguesas e foi muito inteligente na forma como controlou as operações e os vários momentos da partida.
 
Aos 12 minutos, surgiu o primeiro momento de perigo do jogo, com Andrea Thun a isolar-se pelo corredor direito do ataque e a ser travada em falta pela guardiã lusa, Bárbara Santos, que viu o cartão amarelo. Uma infracção providencial e que evitou males maiores para a nossa Selecção.
 
No lance seguinte, Portugal colocou-se em vantagem no marcador, numa jogada em que Vanessa Malho mostrou toda a sua raça e sentido de oportunidade, ao roubar a bola a uma defesa norueguesa e, à saída de Kristine Nostmo, não tremeu e fez o 1-0. Um tento merecido para a dianteira lusa, a quem foi conferida uma missão de enorme sacrifício, lutando entre as torres norueguesas.
 
A formação lusa galvanizou-se com a vantagem e, 11 minutos depois, Rita Fontemanha, fez o 2-0. Na sequência de um canto, a capitã nacional encheu o pé e não deu hipóteses de defesa à guarda-redes adversária.
 
As nórdicas pareciam anestesiadas, mas sobretudo surpreendidas com a capacidade de resposta das comandadas de José Paisana e, apesar do domínio territorial exercido, o melhor que conseguiram, até ao intervalo, foi enviar uma bola à barra, por intermédio de Guro Reiten.
 
Sofrimento premiado
A etapa complementar foi de grande sofrimento para a nossa Selecção. A Noruega entrou “com tudo” e foi encostando as portuguesas para a sua defensiva. A jogar com o relógio a seu favor, as atletas lusas deram uma lição de capacidade de luta e entrega ao jogo.
 
Aos 65 minutos, Guro Reiten teve nos pés uma ocasião soberana para reduzir a desvantagem. Na sequência de um livre indirecto no interior da área lusa, a centro-campista nórdica fez embater a bola na barreira portuguesa.
 
Os últimos minutos da partida foram particularmente dramáticos. Aos 85, a Noruega chegou ao golo, por intermédio de Helene Haavi, num lance que, no entanto, ficou ferido de ilegalidade, uma vez que foi apontado com a mão.
 
Mas nem assim Portugal vacilou e, já em período de descontos, Diana Silva fechou as contas do jogo, num inesperado 3-1, concluindo da melhor forma um contra-ataque luso.
 
Parabéns, Portugal!
 
 
Ficha de Jogo
2ª Jornada do Grupo 1 de qualificação para o Campeonato da Europa Sub-19 de 2012.
Estádio Municipal Sérgio Conceição (Taveiro, Coimbra).
 
Árbitra: Dilan Deniz Gökcek (Turquia).
Árbitras Assistentes: Sibel Yamac (Turquia) e Kylie McMullan (Escócia).
4ª Árbitra: Morag Pirie (Escócia).
 
NORUEGA 1-3 PORTUGAL (0-2, ao intervalo).
 
NORUEGA: Kristine Nostmo, Ida Aardalen, Maren Knudsen (cap.), Martine Berget (Marit Sandtroen, 37’), Ingrid Bakke; Caroline Hansen, Stine Reinas, Guro Reiten; Mia Voltervik (Rikke Storro, 72’), Andrea Thun e Victoria Ludvigsen (Helene Haavi, 57’).
Suplentes não utlizadas: Josefine Ervik, Ingrid Sondena e Anne Birkeland.
Treinador: Jarl Torske.
GolosHelene Haavi (85’).
Disciplina: Nada a assinalar.
 
PORTUGAL: Bárbara Santos, Matilde Fidalgo, Mónica Mendes, Filipa Rodrigues, Cláudia Teixeira; Tatiana Pinto, Rita Fontemanha (cap.); Mélissa Gomes (Diana Silva, 83’), Joana Carneiro (Stefanie Barcelos, 80’) e Micas (90’ + 2’); Vanessa Malho.
Suplentes não utilizadas: Daniela Pereira, Jéssica Silva, Carolina Silva e Joana Marchão.
Treinador: José Paisana.
Golos: Vanessa Malho (13’), Rita Fontemanha (24’) e Diana Silva (90’+2’).
Disciplina: Cartão amarelo exibido a Mónica Mendes (7’) e Bárbara Santos (12’)




Sem comentários:

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

Coloque o seu email, aqui, e terá as actualizações do Blog no seu email

Copyright © 2008 Blog dos Carvalhais [TM]. All Rights Reserved